Fatos importantes sobre o tráfico de pessoas

Tráfico para Exploração Sexual

Os traficantes de sexo usam ameaças, manipulação, mentiras, servidão por dívidas e outras formas de coerção para obrigar adultos e crianças a praticar atos sexuais comerciais contra sua vontade. De acordo com a legislação dos EUA, qualquer menor de 18 anos induzido a sexo comercial é considerado vítima de tráfico sexual - independentemente de o traficante ter usado ou não força, fraude ou coerção. No Brasil, a idade é de 14 anos. 

As situações que as vítimas de tráfico sexual enfrentam variam dramaticamente. Muitas vítimas se envolvem romanticamente com a pessoa que as força ou manipula para a prostituição. Ou são atraídos com falsas promessas de um emprego, como modelar ou dançar. Algumas vitimas são forçados por pessoas de sua própria familia a vender sexo . Eles podem estar envolvidos em uma situação de tráfico por alguns dias ou semanas ou podem permanecer na mesma situação por anos.

As vítimas de tráfico sexual podem ser cidadãos brsileiros, estrangeiros, mulheres, homens, crianças e indivíduos LGBTQ.

Populações vulneráveis ​​são frequentemente alvo de traficantes, incluindo jovens que fugiram de casa e sem-teto,  vítimas de violência doméstica, agressão sexual, guerra ou discriminação social.

O tráfico sexual ocorre em vários locais, incluindo casas (falsas) de massagem, através de anúncios on-line ou serviços de acompanhantes, em bordéis residenciais, na rua ou em paradas de caminhões, em hotéis e motéis.

O Trafico de Pessoas para a Exploração Sexual pode ocorrer em qualquer lugar.

Fonte: Polaris e A21

Tráfico de pessoas para o trabalho

Os traficantes de pessoas para o trabalho - incluindo recrutadores, contratados, empregadores e outros -

usam violência, ameaças, mentiras, servidão por dívida ou outras formas de coerção para forçar as pessoas a t

rabalhar contra sua vontade em muitos setores diferentes.

 

Os traficantes de trabalho costumam fazer falsas promessas de um emprego bem remunerado, educação interessante ou oportunidades de viagem para atrair as pessoas a condições de trabalho horrendas. No entanto, descobrem que a realidade de seus empregos se mostra muito diferente do prometido e frequentemente precisam trabalhar longas horas, por pouco ou nenhum salário. Seus empregadores exercem controle físico ou psicológico - incluindo abuso físico, servidão por dívida, confisco de passaportes ou dinheiro -fazendo a vítima acredita que não tem outra opção senão continuar trabalhando para esse empregador.

 

Cidadãos brasileiros, estrangeiros, mulheres, homens, crianças e indivíduos LGBTQ podem ser vítimas de tráfico para o trabalho. Populações vulneráveis são frequentemente alvo de traficantes. Status de imigração, dívida de recrutamento, isolamento, pobreza e falta de proteções trabalhistas são apenas algumas das vulnerabilidades que podem levar ao tráfico de pessoas para o trabalho.

 

O tráfico de mão-de-obra ocorre em várias indústrias no Brasil, EUA e no mundo. Os tipos comuns de tráfico de mão-de-obra incluem pessoas forçadas a trabalhar em casas como empregadas domésticas, trabalhadores rurais coagidos pela violência ou operários em condições desumanas. O tráfico de mão-de-obra também foi relatado em equipes de vendas de porta em porta, restaurantes, obras de construção, carnavais e até serviços de saúde e beleza.

Fonte: Polaris e A21